Oi.

Oi tem alguem por ai?

Olá,

Não vejo muito os falantes de português interagindo na língua nativa por aqui. Mas acredito que há muitos.

Seja bem vindo.

Olá, me cadastrei ontem no site. Como vão vcs? Memorizando tudo?

Bem-vindo, Leonardo!
Passei um bom tempo ocupado, mas voltando a praticar aos poucos…
E você? Fale um pouco de seus principais interesses com relação à arte da memória…

Olá Dharis,
Então, minha busca principal é pela utilização prática dos sistemas de memorização. Para isso estou terminando meu PAO System (está dando trabalho) e estou criando minhas Jornadas. Ainda não apliquei os conceitos, mas estou tendo várias ideias.

Você tem utilizado os sistemas de maneira prática (dia-a-dia)?

Sim, eu já fiz várias experiências de aplicações práticas, algumas delas por mais de um mês continuamente (como lembrar cada dia), assim usar jornadas ou palácio de memória para manter lista de afazeres, lista de compras, lembrar número do cartão de crédito etc. e também outras técnicas para saber dia da semana de qualquer data etc.

Tenho uma lista de desafios que estou retomando depois de um tempo parado, para poder investigar e praticar a arte da memória…

Estou construindo um novo sistema para uma versão de 3 dígitos e 2 cartas de baralho (uso uma variante do PAO), mas ainda falta bastante.
Muita gente diz que é melhor trabalhar com um sistema 1000 itens (000-999) ao invés de PAO, mas isso é um critério pessoal, não deve ser levado como regra única, por isso vou experimentar ambos, embora esteja ainda acostumado com o esquema de ter ações prontas.

Para isso, eu vou montar sistema PAO 3-2-3, que servirá tanto como esquema 000-999 separado e me dará 2000 ganchos (pegs), ficando faltando apenas mais 704 para sistema com 2 cartas.

Vou encaminhar mensagem privada com e-mail, se desejar trocar ideias mais específicas ou relacionadas a exemplos pessoais.

Salve, galera.

De minha parte, estou usando para estudar para concursos. O Direito do Trabalho, hoje, tem muita jurisprudência. Muita de verdade. Só mesmo com boa técnica para pegar aquilo tudo.

Então, eu li esse post (como lembrar cada dia) há algum tempo atrás, mas até hoje não entendi muito bem a técnica do Lembran Sar… Ele parece que não criou um código para os meses e anos, só criou uma imagem de um calendário gigante e fica andando e revisitando os dias (que já passam de 1000) para se lembrar de cada um deles. Como você aplicou a técnica? Criou alguns códigos para conectar as imagens diárias ao Mês e Ano respectivos?

Emanuel, você tem desenvolvido aluma técnica especifica para memorizar esse conteúdo? Ou tem usado uma antiga?

Eu cheguei a ler muitos posts do blog do Lembran Sar, a partir do primeiro, pois estava muito motivado com a ideia que ele propôs, e então fiz algumas adaptações para o meu jeito.

O principal que ele ensina é escolher uma, talvez duas, imagens [editado: aqui são cenas reais, como fotografias mentais] para representar ou te lembrar do dia, além de sempre fazer revisões, que depois de um tempo passam a se tornar um hábito por diversão.
Infelizmente eu perdi o hábito (desleixo mesmo), mas o processo chega ser viciante, quando você começa utilizar para resolver “conflitos” ou verificar como distorcemos a percepção do tempo, sinto falta…

Diferentemente dele, eu não visualizava o calendário, mas quando pratiquei um esquema de lembrar datas, eu havia criado ganchos para os meses, baseado nos símbolos/animais do zodíaco. E um sistema de cores para o dia da semana. Para o dia do mês, eu usava pessoas dos números 01-31 que já possuía.

Assim, a combinação do símbolo do mês, a Pessoa do dia, combinado de algum modo com a cor do dia da semana, serviam de dica para a data, para associar aos eventos que lembrava naquele dia… mas eu fazia esse processo retrospectivo antes de ir dormir.

Comecei dia 8 de agosto de 2013, quinta-feira, e mantive firme até pouco mais de meados de setembro, então relaxei de bobeira mesmo… não é difícil, apenas questão de hábito.

Assim, eu não cheguei a imaginar uma maneira definitiva para lidar com a informação do ano, que pode ser interessante para usar por um bom tempo…

Dominic flexibilizada (Pessoa/Pessoa ou Pessoa/Ação ou Pessoa/Objeto, mas não necessariamente PAO) para permitir que uma pessoa interaja com outra, ao invés de uma pessoa interagindo sempre com um objeto ou executando sempre uma ação) ou Dean Vaughn flexibilizada (para aplicar Dominic ao Cubo e maximizar os loci disponíveis).

Em minha experiência, é mais fácil “esquecer” uma ação ou objeto do que esquecer duas pessoas interagindo.

Dois exemplos.

CLT - letra da lei

Ao entrar no quarto de hotel em que eu estava hospedado no Ibis Valparaiso, no Chile, vi o sócio da minha sogra lutando com uma Python. Deixei os dois engalfinhados e fui pra minha cama.

Liguei a televisão. Bruce Dickinson estava correndo com Abílio Diniz numa trilha de jogging. O âncora televisivo, o próprio Adolf Hitler, afirmou que aquilo era uma vergonha.

Terminado o telejornal, desliguei a TV e notei que, em cima da outra cama, o Zorro dançava paso doble com a Carla Bruni, esposa do premier francês.

A quantos dias de férias tem direito o empregado celetista?

Tem direito a 30 (CJ, Carlos José, o sócio da minha sogra), caso falte até 5 (=cobra) vezes.
Tem direito a 24 (BD, Bruce Dickinson), caso falte até 14 (AD, Abílio Diniz) dias.
Tem direito a 18 (AH, Adolf Hitler), caso falte até 23 (BC, Boris Casoy) dias.
Tem direito a 12 (AB, Antonio Banderas Zorro), caso falte até 32 (CB, Carla Bruni) dias.

Acima disso, não tem direito a férias.

TST - Súmula 51 (ou “Súmula Ezio Auditore”, para quem curte Assassin’s Creed), item I
Dentro do quarto de Otto Frank, pai de Anne Frank, tem uma calça jeans pendurada atrás da porta. De uma das pernas da calça sai uma régua. A régua está mexendo uma tijela com couve, azeite e um halteres. O halteres tem um poderoso espelho, que reflete a luz do sol, tingindo de amarelo um operário que estava próximo, com um rádio metido em sua mão.

(ufa… vamos lá)

Calça regua refogada halteres sol tingir trabalhador radio metido.
A clausula (calça) regulamentar (regua) que revoga (refoga) ou altera (halteres) vantagem anteriormente concedida só atinge (tinge) o trabalhador (operário) admitido (rádio metido) após a alteração.

Nesse caso, a sequência de objetos foi bizarra, e contém alguns fortalecimentos de memória no meio do caminho (o operário, na verdade, é a Cicciolina com um chapéu amarelo de canteiro de obras).

Eu uso o que funciona. Mas precisei testar o que não funciona pra descobrir o que funciona.

Exemplo. Eu morava na beira de um rio onde havia uma pista de jogging. Todo santo dia eu saltava no metrô e jantava num Shopping Center próximo de casa e ia caminhando 1km até meu apê. Apesar de passar em frente à Câmara Municipal de BH, a uma igreja linda e sob duas passarelas, nunca passei disso (Metrô-Shopping-CMBH-Passarela 1-Passarela 2) em termos de loci. O Método das Jornadas não funciona comigo. Aí descobri que estou mais pra Roman Room (Scott Hagwood) que pra Journey (Dominic).

Já com a técnica do Cubo (ou “Nooks and Crannies”), coloco religiosamente dez loci por cômodo e posso inclusive “reformar” os cômodos em minha cabeça para torná-los mais memoráveis.

Exemplo.

Um de meus palácios da memória, como já disse, é a casa onde Anne Frank ficou escondida. Lá, no primeiro andar, tem uma sequência de um escritório, um vestíbulo, outro escritório, um corredor, um terceiro escritório, uma cozinha e uma escada.

O problema é que o primeiro escritório tem todos os 10 pontos do Cubo preenchidos - quais sejam, interruptor-porta-cadeira e arquivo-lareira-máquina de escrever-mesa central-janela-arquivo-tapete-lustre. Já o segundo escritório tem uma parede inteira vazia, ‘matando’ 3 loci. Eu não ia deixar isso barato.

Primeiro impregnei na memória o escritório tal qual é. Depois, em minha mente, coloquei uma casa de bonecas no ponto 1 (atrás à esquerda), em homenagem à menina que morreu com 15 anos de idade, vítima de ódio racial. No ponto 2 (parede à esquerda), pus um cavalete de marcenaria, onde a casinha foi feita. No ponto 3 (à frente à esquerda), coloquei um gaveteiro de madeira. Surpreendentemente, quando enchi mais o escritório dessas tranqueiras, os outros detalhes se tornaram ultra-nítidos; consigo enxergar quase como um sonho lúcido o arquivinho de madeira, a luminária e os papéis em cima da escrivaninha no ponto 4 (parede adiante).

Quando visitei a casa de Anne Frank? Uma ou duas vezes. Pela internet. http://www.annefrank.org/en/Subsites/Home/Enter-the-3D-house/

Espero ter sido útil. E faço questão de responder a quaisquer perguntas que tiverem em relação a meu método.

emanuel, achei sensacional sua utilização das técnicas, espero alcançar esse nível de prática e adaptações. Atualmente minha cabeça está um pouco confusa com tantas possibilidades… Sendo assim, estou focado na construção do meu PAO System (estou tendo dificuldades com alguns números).

Dharis, assim que eu terminar meu PAO System vou cair de cabeça nesse desafio. Tenho péssima memória para lembrar de eventos passados… E lembrar dessas informações pode ser muito útil para minha vida pessoal e profissional.

Esse Forum tem me inspirado bastante e considerando essa pequena troca de informações que já tivemos, começo a ter ideias novas. Acho que vou criar alguns tópicos dentro da nossa Seção em Português para discutirmos com mais liberdade na nossa língua.

Agradeço muito a vocês por compartilhar. A cada avanço que tiver, farei o mesmo.

Até breve!

Quando construí meu primeiro PAO, senti que usar fonética acaba dificultando o processo de criação, mas mantive assim até o final, tirando apenas umas 3 exceções (que são boas também por se destacarem). Nesse caso, não vou usar mais fonética no próximo sistema que estou expandindo e experimentar associação direta.

Se o interesse for lembrar eventos passados, podes experimentar inicialmente um exercício simples de recordação retrospectiva diariamente.
Eu percebi que durante o dia, até antes de ir dormir, é fácil de lembrar o que acontece (no mesmo dia) se parar para recordar (em ordem ou de trás para frente).

E sim, seria interessante expandir a discussão em tópicos separados, do que continuar esticando esse thread :wink:

Fala, brother.

Isso é prática, prática e prática. Não tem outra via senão a prática.

O melhor método você já tem: o de Loci. Se vai aplicar com Jornada ou Quarto Romano, quem dirá é a prática.
Os detalhes você também tem: Major, Dominic, PAO. Só a prática ditará o melhor.

Não espere terminar seu PAO. Até hoje não terminei o meu. Faça o que precisar, quando precisar. Vá ampliando aos poucos. Se usar Major o resultado sai mais rápido, lembrando da flexibilidade com vogais iniciais.

Bote uma meta na cabeça e vá fundo nela.

Abraços.

As dicas do Emanuel são bastante oportunas… Praticar e construir com palácios de memória (jornada mental, sala romana etc.) é o fundamental…

PAO vai te ajudar a lidar com números, cartas de baralho, e outras informações que você possa definir/preparar previamente etc.

Eu me lembrei de uma sugestão quanto ao PAO, que é ao invés de seguir letras e fonemas para cada dígito, usar sistema de categoria.
Não achei o link aqui no site, mas tem o Millenium PAO do Florian Dellé, como exemplo.

Para uma versão menor de 100 pessoas, basta pensar em 10 categorias, e escolher 10 pessoas em cada categoria.
Cada categoria representa um tema, que pode indicar tipo de pessoas, e talvez até seriado de TV, etc.
Esse esquema é muito mais rápido de criar do que sistema Maior, e outro que usa fonética.

Valeu, brother.

Ótima ideia.

Ainda estou lutando pra terminar meu PAO. Me preocupo com o possível resultado nefasto de criar dois sistemas de atribuição numérica ao mesmo tempo; assim que terminar, contudo, vou tentar criar um sistema categórico, ao invés de fonético.

Obrigado pela dica.

Hehe :slight_smile:
Entendo também.
Depende como está o uso atual, se está em construção penso que é mais fácil esquecer o velho (ou até reorganizar), mas você pode julgar melhor…

A parte que acho interessante é que a ideia das categorias também pode ser usada para os objetos… tais como material escolar/escritório, esportes/fisioculturismo, saúde, informática, brinquedos, instrumentos musicais e diversas outras possíveis.

Pessoal, consegui (praticamente) finalizar meu PAO System.
Estou compartilhando com vocês o link para o meu sistema. Nessa minha planilha tem o Major System que tirei do livro do Alberto Dell’isola e tem também meus Memory Palaces. Sistemas Próprios de Memória.

Minha grande dificuldade atualmente é a falta de agilidade na recuperação da Ação e do Objeto. A pessoa, eu lembro com facilidade, pois as iniciais do nome me remetem ao personagem, tipo 14 = TR = Tony Ramos. Mas lembrar, em uma sequência numérica, que o número 14 é também o ato de DEPILAR, ou ainda que é uma CERA QUENTE, não vem a mente tão facilmente, entendem? Vocês têm essa dificuldade?

Achei bastante interessante o Sistema PAO por Categoria, vou estudar a respeito.
Estou iniciando meu projeto para lembrar dos dias que se passam. Se eu tiver oportunidade, abro um tópico a respeito.

Cara,

Você pode fazer um sistema Pessoa-Pessoa

“Fulano faz X com Beltrano”

Onde X pode ser qualquer coisa, não-codificada. É bem mais rápido e continua mantendo 4 dígitos/locus.

Ao longo do tempo, as ações típicas de cada pessoa vão se firmando naturalmente.

Leonardo,

Essa dificuldade inicial é normal.
O que eu fiz foi usar um software de repetição espaçada como o Anki e estudar as 3 partes (Pessoa-Ação-Objeto) de forma separada para melhorar a eficiência de uso.
O software monta flashcards e te ajuda a lembrar o momento exato de revisar cada um.

Alternativamente (ou inicialmente para praticar), é possível usar como o Emanuel disse, sem usar objetos, apenas pessoas com ações arbitrárias. Mas então você teria 4 dígitos por imagem, em vez de 6 dígitos.
Esses sistemas dependem de um esforço inicial mesmo, mas em curto prazo de tempo você consegue utilizar, se praticar um pouco todo dia (encare como uma brincadeira).

Eu estava usando o Quizlet, mas não tem a função de revisão automática. Já cheguei a usar o Anki para o celular, mas depois do seu comentário baixei para o computador, tem muito mais funções, é excelente. Lancei parcialmente meu PAO System nele usando imagens, está ficando ótimo. Agora periodicamente eu acesso via celular e estudo nas horas vagas.

Obrigado pela dica.